27/03/18

Opinião: "Em Queda Livre" de Simona Ahrnstedt


"Segundo as colunas de mexericos, Alexander de la Grip é um conde sueco, playboy internacional, e o mais cobiçado solteirão com menos de trinta anos. Os seus dias são passados a recuperar das farras da noite anterior. Entrega-se sem reservas ao prazer e ao deboche, e parece não ter uma única preocupação na vida. 
Já a médica Isobel Sørensen não tem senão preocupações. Habituada a tratar pacientes em campos de refugiados e zonas de guerra, dedica-se de corpo e alma ao trabalho humanitário. Mas o seu trabalho depende de donativos, e Alexander de la Grip, por algum motivo, retirou o seu apoio.

Será que foi por ela ter sido a única mulher que alguma vez lhe fez frente?
O inevitável reencontro é tão explosivo como seria de prever… a todos os níveis. Neste medir de forças, em que Alexander e Isobel testam os limites um do outro, a verdade vem lentamente ao de cima, e é bem mais complexa e lancinante do que seria de imaginar.

Após o sucesso de Jogos Perigosos, Simona Ahrnstedt brinda--nos com uma história que percorre o globo, desde a Europa e a América até aos confins de África, sempre repleta de escândalo e suspense…"

Wook.pt - Em Queda Livre
Boa tarde, leitores!!

Hoje venho trazer-vos a minha opinião do último livro que li: Em Queda Livre de Simona Ahrnstedt, o segundo livro da série Uma Noite, recentemente publicados pelas Edições ASA.

Eu verdadeiramente devorei este livro; mesmo com quase 600 páginas, vi-me completamente rendida a esta história e não fui capaz de pousar o livro enquanto não o terminei!

Adorei o facto de podermos ver o nascer e o desenvolvimento de duas relações distintas e, no entanto, muito parecidas, se bem que, como é óbvio, é dado um maior destaque à de Alexander e Isobel.

As personagens estavam também muito bem construídas, nomeadamente as personagens principais, o que permite ao leitor ir desconstruindo as personagens camada a camada de modo a ficarmos a conhecer realmente como elas são e não apenas o que aparentam à superfície.

O facto de os capítulos serem relativamente curtos também ajuda a que a leitura seja mais fluída.

Uma coisa que também achei bastante interessante foi a abordagem do preconceito na Suécia. Todos estamos habituados a ver a Suécia como um país muito aberto e sem qualquer problemas, mas achei interessante ler que realmente não é bem assim.

Para além disso, o toque (sem dúvida mais soft) de 50 Sombras de Grey que a autora deu à história faz com que esta seja uma leitura ainda mais interessante, uma vez que temos a oportunidade de ler os dilemas que assomam as personagens relativamente a este tema e numa perspetiva um pouco diferente daquela que E. L. James nos habituou. 

Esta mistura entre romance, mistério e suspense torna este livro num impossível de pousar!! Recomendo vivamente!

Classificação: 5/5

Uma leitura com apoio da
Foto de Edições ASA.

1 comentário:

Sevgidoji Blogger disse...

https://sevgidoji.blogspot.com.tr

Enviar um comentário