14/08/17

Opinião: "Ao Fechar a Porta" de B. A. Paris

"Quem não conhece um casal como Jack e Grace? Ele é atraente e rico. Ela é encantadora e elegante. Ele é um hábil advogado que nunca perdeu um caso. Ela orienta de forma esmerada a casa onde vivem, e é muito dedicada à irmã com deficiência. Jack e Grace têm tudo para serem um casal feliz. Por mais que alguém resista, é impossível não se sentir atraído por eles. a paz e o conforto que a sua casa proporciona e os jantares requintados que oferecem encantam os amigos. Mas não é fácil estabelecer uma relação próxima com Grace... Ela e Jack são inseparáveis. 

Para uns, o amor entre eles é verdadeiro. Outros estranham Grace. Por que razão não atende o telefone e não sai à rua sozinha? Como pode ser tão magra, sendo tão talentosa na cozinha? Por que motivo as janelas dos quartos têm grades? Será aquele um casamento perfeito, ou tudo não passará de uma perfeita mentira? 

Um thriller brilhante e perturbador, profundamente arrebatador, que se tornou num autêntico fenómeno literário internacional com publicação em mais de 35 países. A não perder."

Wook.pt - Ao Fechar a Porta
Olá, livrólicos! Como está a correr a vossa segunda-feira? Eu tenho de admitir que me sinto bastante feliz por ter comprado uns quantos livrinhos na Bertrand e todos eles em promoção!! :)

Mas, agora, indo ao que interessa; hoje trago-vos a opinião de um livro muito badalado e, sem dúvida, um livro que os leitores portugueses vão querer ler este verão: Ao Fechar a Porta de B. A. Paris.

Este foi mais um daqueles livros que conheci no Bookstagram e que, quando vi que ia ser publicado em Portugal, decidi que tinha de o arranjar o mais rapidamente possível. Ainda bem que o fiz!

Tenho de admitir que, a princípio, fiquei um pouco de pé atrás ao ver que os capítulos eram um pouco longos (algo que vocês já devem ter percebido que não me agrada), mas, assim que comecei a ler, esse contra ficou para trás, tendo em conta o estado de curiosidade que este livro me deixou! Só queria ler mais e mais e saber o que verdadeiramente se escondia por detrás da fachada do casamento perfeito de Grace e Jack.

Desde o início que somos presenteados com a apresentação da perfeição com que vivem rodeados Jack e Grace. É impossível não desconfiar de tanta perfeição: jantares perfeitos, viagens de sonho à Tailândia, os vestidos fantásticos, a vida aparentemente despreocupada e perfeita de Grace... E a verdade é que, à medida que Grace nos vai contando a sua história, toda esta perfeição toma um significado totalmente diferente e bastante assustador!

Este livro foca-se essencialmente no vertente psicológica das personagens e essa é, sem dúvida, a razão pela qual a sua história é tão forte

Também não podemos esquecer Millie, a irmã mais nova de Grace, que sofre de Síndrome de Down e que tem um papel fundamental no desenrolar da ação.

O final é um pouco previsível, mas não poderia ter sido de outra forma. Não depois da montanha-russa de emoções (negativas) que vivemos através de Grace e daquilo que ela nos conta.

Um livro muito bom, ideal para as leituras de verão! O tipo de livro que nos deixa a pensar se alguma vez ficamos verdadeiramente a conhecer aqueles que nos rodeiam.

O novo livro da autora, The Breakdown, foi publicado recentemente e espero que a Editorial Presença o publique num futuro próximo.

Classificação: 4/5

13/08/17

Novidades da semana - 13 a 19 de agosto

Já se sabe como é o mês de agosto, não é verdade?! No entanto, estes dois novos lançamentos da Editorial Presença deixaram-me curiosa... E a vocês?

  • 16 de agosto
 

11/08/17

Opinião da série: "Candice Renoir" (2013 - )


Dá para acreditar que já é sexta-feira outra vez?!

O post de hoje pertence a uma rubrica que já não é atualizada há algum tempo: as minhas opiniões sobre as séries que ando a ver.

A série de hoje é Candice Renoir, uma série francesa que esteve em exibição na RTP e agora no AXN (a 4ª temporada terminou na quarta-feira e ontem recomeçou na 1ª temporada).

Comecei a ver esta série já a meio da 1ª temporada, mas desde o princípio que adorei (e o mesmo acontece com a minha mãe e o meu irmão)! Cada episódio nos traz um novo crime e são sempre crimes interessantes, no entanto, o mais interessante são os métodos que Candice utiliza para os resolver. Métodos estes que ao início não agradam a ninguém, mas que depois acabam por conquistar os seus companheiros de equipa.

Para além da resolução dos crimes, temos também retratadas na série a vida pessoal de cada uma das personagens principais, mas, essencialmente, a da Candice, que é verdadeiramente hilariante com os seus 4 filhos e todos os (des)amores que vai tendo ao longo das diferentes temporadas.

Recomendo esta série a todos os amantes de séries policiais, mas que também têm interesse numa vertente um pouco cómica e com ênfase na vida pessoal das personagens (este último ponto relaciona-se quase com o género nordic noir dos livros de que tanto gosto).

Classificação: 5/5

10/08/17

Opinião: "A Ilha das Quatro Estações" de Marta Coelho

"Onde todos os sonhos são possíveis.

Este é o livro com que todos os jovens se conseguem identificar, uma história atual e relevante sobre os receios, as paixões, as fragilidades e a força de quatro jovens à procura de um novo rumo.

Cat sentia-se sem rumo e não queria ver ninguém.
Tiago só desejava poder voltar a viver como antes.
Misha isolara-se do mundo à sua volta.
Rute precisava de vencer uma batalha muito dolorosa.

Os seus caminhos cruzam-se na ilha e, juntos, preparam-se para enfrentar os seus demónios pessoais. Mas há quem tenha outros planos para eles…

Será que a tua vida pode mudar quando tudo parece correr mal?"

Wook.pt - A Ilha das Quatro Estações
Boa quarta-feira, livrólicos!! Como estão as vossas leituras neste mês de agosto?

Eu terminei hoje de manhã o meu terceiro livro deste mês e é a opinião desse livro que vos trago hoje. :) A Ilha das Quatro Estações é uma novidade do Clube do Autor no género young adult e de uma autora portuguesa, Marta Coelho.

Tenho de admitir que quando primeiro li a sinopse deste livro não fiquei assim muito interessada. Parecia-me ser mais um daqueles livros acerca de jovens deprimidos e com problemas do género John Green, mas a verdade é que este livro acabou por se tornar uma enorme surpresa!

Desde o momento em que peguei neste livro que me vi agarrada à história. É certo que as relações entre as personagens, nomeadamente Cat e Tiago, se desenvolvem demasiado depressa, mas não me pareceu algo incongruente tendo em conta a situação em que eles se encontravam. Afinal, se fossem para uma ilha onde não conheciam ninguém e onde iriam estar durante quatro meses, não iriam querer começar logo a fazer amigos?

Para além disso, os capítulos curtos e a escrita fácil e representativa dos adolescentes tornam este livro facílimo de ler! As personagens estão também muito bem construídos e acredito que muitos leitores são capazes de se identificar com os problemas que as afligem.

Gostei também bastante do toque de mistério e suspense que a autora deu à obra e que se vai condensando ao longo da narrativa, até nos surpreender no final! Espero que haja uma sequela num futuro próximo, uma vez que este final deixa-nos com a pulga atrás da orelha e a querer saber o que é se passou verdadeiramente na ilha.

É impossível ficarmos indiferentes a este livro. As histórias destes jovens deixam-nos a pensar na nossa própria vida e ensinam-nos também importantes lições de vida. Sem dúvida que A Ilha das Quatro Estações é um livro imperdível para miúdos e graúdos!

Um enorme obrigada ao Clube do Autor por me ter enviado um exemplar deste livro e por me ter proporcionado uma excelente leitura!

Classificação: 5/5

Uma leitura com apoio