14/08/18

Opinião: "Deixo-te para não te perder" de Taylor Jenkins Reid

"O casamento de Lauren e Ryan atinge o ponto de rutura e ambos tomam a decisão pouco convencional de se afastarem durante um ano, na esperança de que isso lhes permita apaixonarem-se de novo. Durante esta separação, cada um é livre de viver como entender, à exceção de nenhum estabelecer qualquer contacto com o outro. Lauren inicia uma viagem de autodescoberta e depressa se apercebe de que tanto os seus familiares como os seus amigos têm ideias muito próprias sobre o significado do matrimónio. A perceção desse facto e os desafios decorrentes da separação de Ryan mudam a visão de Lauren sobre monogamia e casamento. E ela passa a interrogar-se: quando estamos ligados a alguém sem um compromisso de fidelidade e quando vivemos uma relação sem casamento - ou seja, quando já não há laços entre o amor e o desejo - a que damos nós valor? Pelo que estamos nós dispostos a lutar?

Deixo-te Para Não te Perder é um romance surpreendente sobre o que acontece quando o amor se dissipa. E sobre continuarmos apaixonados, lutarmos pelo amor, renunciarmos a ele ou entregarmo-nos com toda a nossa alma. É, sobretudo, a história de um casal preso a um velho arquétipo, mas à procura de um novo caminho rumo à felicidade."

Resultado de imagem para deixo-te para não te perder editorial presença
Bom dia, livrólicos!

Há quanto tempo, não é verdade?! Tenho de admitir que ando com pouca vontade de atualizar o blogue (ainda mais com a quantidade de livros que tenho lido e o equivalente número de opiniões para pôr em dia), mas garanto-vos que valeu a pena a espera, porque hoje venho falar-vos de uma novidade fantástica que me agradou muito mais do que eu estava à espera: Deixo-te para não te perder de Taylor Jenkins Reid, uma novidade da Editorial Presença.

Já tinha ouvido falar muito bem dos livros desta autora, por isso quando vi que este ia ser publicado por cá decidi que o tinha de ler! E qual não foi a minha surpresa ao ver que já um outro livro foi publicado?! Tu, eu e Todo o Tempo do Mundo vai ser a minha próxima aquisição!! Hihihi!

Mas, agora, quanto a Deixo-te para não te perder: o livro é de leitura mesmo muito fluída, com os capítulos curtinhos e uma linguagem bastante acessível

A forma como a narrativa está construída é também interessante, uma vez que nos apresenta primeiro a "gota de água" da relação de Lauren e Ryan e depois uma analepse desde o momento em que se conheceram até ao momento presente, com todos os momentos significativos presentes. Acho que, deste modo, a autora é capaz de mostrar exatamente tudo o que aconteceu na relação deste casal que depois os leva a separar-se durante um ano e, sem dúvida, que isso é algo importante, pois este é um tópico ainda um pouco sensível e o facto de a autora o ser capaz de explicar tão bem (assim como as suas motivações) é definitivamente importante para uma boa leitura do livro.

Algo que também me agradou bastante foi o facto de, apesar desta história se centrar neste casal, as lições que estão implícitas funcionam para qualquer tipo de relação e considero que este é um fator que também nos cativa na leitura deste livro. Dizer o que nos agrada ou desagrada em alguém e sermos capazes de exprimirmos as nossas opiniões e não sermos obrigados a fazer algo que não nos agrada é tão importante num casal de namorados, como de amigos ou familiares.

Assim, não podia recomendar mais este livro! Aproveitem o feriado que se aproxima para o lerem, porque, sem dúvida, que não se vão arrepender! E a leitura também se faz rapidíssimo, por isso... hihihi!

Classificação: 5/5

Uma leitura com apoio da
presença

Para mais informações sobre o livro Deixo-te para não te perder, clica aqui!

25/07/18

Opinião: "O Legado" de Yrsa Sigurdardóttir

"Uma jovem mulher é brutalmente assassinada na sua casa, em Reiquejavique. A única testemunha é a filha de sete anos, mas a criança não fala. Quando uma segunda mulher é assassinada, a polícia fica literalmente sem saber o que fazer. Entretanto, um radioamador recebe mensagens peculiares que o põem em conexão com as mulheres assassinadas, e a curiosidade move- -o a começar uma investigação por conta própria. Huldar, o detetive responsável por este caso, e Freyja, a psicóloga que tem a cargo a miúda - que presenciou o homicídio -, são obrigados a trabalhar em conjunto. Mas esta colaboração não é fácil: poucas semanas antes tinham-se conhecido num bar e passado a noite juntos, e, na manhã seguinte, ao acordar, Freyia constatara, dececionada, que Huldar - que se dera a conhecer não como polícia, mas como um carpinteiro recém- -chegado à cidade - se eclipsara. 

Autora cimeira do supense (e dos tops de vendas) na Escandinávia e em todo o Mundo, Yrsa Sigurdardóttir mostra mais uma vez a sua competência na criação de uma história de grande ritmo narrativo, personagens inesquecíveis e uma intriga de grande inteligência. O Legado é o primeiro livro da trilogia DNA, também conhecida como «série Freyja e Huldar». Seguir-se-ão O Vórtex e A Absolvição."

Wook.pt - O Legado
Boa tarde, livrólicos!!

Como estão?

Eu hoje estou particularmente entusiasmada com o livro de que vos venho falar: O Legado de Yrsa Sigurdardóttir, uma novidade da Quetzal e o primeiro livro de uma nova série da autora!

Este livro fez-me perceber as saudades que eu tinha de um bom policial nórdico! Tudo em O Legado está muitíssimo bem construído: desde as pistas que são deixadas logo desde o princípio para desvendar o assassino até às personagens.

Como já é costume nos policiais nórdicos, a parte psicológica da trama tem muita importância no desenrolar da ação (muitas vezes, até mesmo mais do que a parte policial) e este livro não é exceção. Ainda mais se considerarmos o facto de uma criança ser testemunha do brutal homicídio da mãe

No entanto, há algo que diferencia este livro da maioria dos policiais nórdicos a que estamos habituados: a violência. Ou melhor dizendo, a crueldade com que os crimes são cometidos. Porque não sei quanto a vocês, mas a verdade é que já li variadíssimos policiais e nunca me tinha deparado com um em que os crimes fosses cometidos desta forma tão insólita!

Também as personagens são muito bem construídas, com o mix entre a sua vida pessoal e a profissional muito bem interligado. Pelo que pude perceber, os dois responsáveis por esta investigação, Freyja e Huldar; serão também as personagens principais dos próximos dois livros, o que é excelente, pois mal posso esperar para ver como a sua relação se vai desenvolver!

Sem dúvida que este é o livro ideal para os fãs de policial nórdico, com um toque de horror, lerem neste verão!

Classificação: 5/5

Uma leitura com apoio da
Foto de Quetzal Editores.

23/07/18

Opinião: "Felizes para Sempre" de Kiera Cass

"Antes de encontrarem os seus Felizes para Sempre, Amberly, Maxon, Aspen e Marlee tinham outras histórias para contar…
Esta coletânea traz os contos «A Rainha», «O Príncipe», «O Guarda» e «A Favorita», ilustrados e com introduções inéditas de Kiera Cass. Conheça o príncipe Maxon antes de ele se apaixonar por America, e a rainha Amberly antes de ser escolhida por Clarkson. 
Veja a Seleção através dos olhos de um guarda que perdeu o seu primeiro amor e de uma Selecionada que se apaixonou pelo rapaz errado. Encontrará, ainda, cenas inéditas da série narradas pelos pontos de vista de Celeste e Lucy, um texto a contar o que aconteceu às outras Selecionadas depois do fim da competição."

Bom dia, leitores!!

O livro de hoje, uma novidade da Marcador, é um livro pelo qual já aguardava há muito tempo e tenho a certeza de que não era a única!

Felizes para Sempre, de Kiera Cass, é um extra à série A Seleção que nos traz variadíssimas situações que ocorreram antes, durante e depois do processo da seleção, com diferentes protagonistas, desde  a rainha Amberly ao guarda Aspen, com algumas concorrentes pelo meio.

Os contos são curtos e com a linguagem acessível a que Kiera já nos habituou. As personagens são tão (ou até mesmo mais) memoráveis do que nos livros já publicados, isto porque nos outros livros o foco é em America, enquanto que nestes contos o foco é em outras personagens, que, apesar de aparecerem nos outros livros, não temos acesso aos seus pensamentos tal como acontece aqui.

Deste modo, Felizes para Sempre não é só um livro ideal para todos os fãs de A Seleção, mas também para todos os fãs de famílias reais e uma leitura excelente para as férias.

Classificação: 5/5

Uma leitura com apoio da
Resultado de imagem para editora marcador

Para mais informações sobre o livro Felizes para Sempre, clica aqui!

21/07/18

Opinião: "Numa Ilha Deserta" de Julie Johnson

"Assim que o vi, no terminal do aeroporto, soube que era um cretino. Percebi logo que são homens como ele que os pais temem. Arrogantes, maldispostos, mas… de cair para o lado!
Felizmente, não teria de o voltar a ver… ou, pelo menos, foi isso que pensei. 
Não podia prever que o avião ia cair.
Não podia saber que seríamos os únicos sobreviventes. 
Nunca me passou pela cabeça que, um dia, seria ele o meu porto de abrigo.

É que a vida na ilha é uma luta constante. Para sobreviver, mas também para não ceder à tentação. Sei que é errado desejá-lo, por todos os motivos e mais algum. Mas o tempo vai passando, e a carne é fraca…
Eu, a jovem e inexperiente Violet Anderson. e ele, o famoso fotógrafo Beck Underwood.
Se não aparecer alguém para nos salvar em breve, receio que irei mergulhar nele… e morrer afogada…"

Wook.pt - Numa Ilha Deserta
Boa sábado, livrólicos!!

Sei que isto tem andado um pouco morto por aqui, mas, agora que finalmente acabei os exames, podem contar com várias opiniões dos últimos livros que tenho lido. Sim, porque tenho muito para pôr em dia! Hahaha!

Hoje trago-vos a minha opinião de uma novidade da Quinta Essência: Numa Ilha Deserta de Julie Johnson.

A primeira coisa que me chamou a atenção neste livro foi a capa. Achei-a lindíssima e impulsionou-me logo a lê-lo. No entanto, tenho de admitir que me custou um bocadinho a entrar na história, particularmente devido à diferença de idades entre Violet e Beck. Porém, assim que essa primeira impressão passou, fui completamente assoberbada pelo livro e não o consegui parar de ler (aliás, li-o em menos de um dia!).

Tirando, então, a diferença de idades entre as personagens principais, acho que a história está muito bem conseguida: a construção psicológica das personagens face à sua situação é muito realista, bem como todos os outros aspetos, tais como os conflitos entre si e o próprio dia-a-dia. Também os capítulos são curtos, o que torna a leitura fácil e fluida.

Pelo que pude perceber, existe um segundo livro que espero que esteja nos planos da Quinta Essência para podermos saber o que acontece no futuro de Violet e Beck!

Sem dúvida, uma recomendação para este verão, quer já tenham tido as vossas férias ou não!

Classificação: 4,5/5

Uma leitura com apoio:
Resultado de imagem para quinta essência editora