07/05/19

Opinião: "Traz-me de volta" de B. A. Paris

"Ela desapareceu. Ele seguiu a sua vida. Muitos segredos ficaram por revelar.

Finn e Layla são jovens, estão apaixonados e têm a vida toda para serem felizes. Ao regressarem de umas férias em França, já de noite, Finn para numa estação de serviço, deixando Layla sozinha dentro do carro . Minutos depois, ao dirigir-se de volta à viatura, descobre que a namorada desapareceu. E nunca mais a viu . Esta é a história que Finn conta à polícia. É a verdade - mas será toda a verdade?

Passaram-se doze anos. Finn construiu, entretanto, uma nova vida ao lado de Ellen, irmã de Layla. Um dia, alguém que ele conhece do passado telefona-lhe e diz-lhe que viu Layla. Mas será mesmo ela - ou alguém a querer passar-se por ela? Se for Layla, o que querererá? E o que terá ela a dizer sobre a noite em que desapareceu? Um tour de force de suspense psicológico, este novo romance da autora bestseller B. A. Paris, leva o leitor a questionar tudo e todos até ao climax admirável."

Boa tarde, leitores!

Hoje trago-vos uma novidade da Editorial Presença, pela qual há muito esperava: Traz-me de volta de B. A. Paris.

Este já é o terceiro livro da autora (os anteriores foram Ao Fechar a Porta e À Beira do Colapso) e, mais uma vez, B. A. Paris consegue criar um enredo cheio de suspense e personagens duvidosas que nos deixam em pulgas durante toda a leitura!

Desta vez, a autora apresenta-nos como personagens principais um casal: Finn e Ellen, sendo que o grande senão desta relação é o facto de Ellen ser irmã de Layla, a ex-namorada de Finn, que desapareceu durante umas férias em França e nunca mais se soube nada dela.

No entanto, doze anos depois do desaparecimento de Layla (e quando Finn e Ellen se preparavam para casar), Finn começa a receber e-mail de alguém a fazer-se passar por Layla (ou será que é mesmo ela?) com o objetivo de o fazer acreditar que a ex-namorada está de volta. O problema é que com o passar do tempo esta pessoa mostra estar afinal mais perto de Finn e Ellen do que estes pensavam e cada vez mais os seus e-mails se tornam mais ameaçadores.

O final for verdadeiramente incrível e inesperado. Já tinha formulado mil e uma situações sobre o que se teria passado, mas nunca imaginei que terminasse da forma como terminou! E isso é uma das coisas que tão de fantástico têm os livros desta autora: nunca sabemos verdadeiramente como vão acabar!

Classificação: 4,5/5

Uma leitura com apoio da
presença

Para mais informações sobre o livro Traz-me de volta, clica aqui!

21/04/19

Opinião: "Uma Gaiola de Ouro" de Camilla Läckberg

"Uma história dramática sobre fraude, redenção e vingança.

Aparentemente, Faye parece ter tudo. Um marido perfeito, uma filha que muito ama e um apartamento de luxo na melhor zona de Estocolmo. No entanto, algumas memórias sombrias da sua infância em Fjällbacka assombram-na e ela sente-se cada vez mais como se estivesse presa numa gaiola de ouro.

Antes de desistir de tudo pelo marido, Jack, era uma mulher forte e ambiciosa. Quando ele a engana, o mundo de Faye desmorona-se e ela tudo perde, ficando completamente devastada. É então que decide retaliar e levar a cabo uma cruel vingança…

Uma Gaiola de Ouro é um romance destemido sobre uma mulher que foi usada e traída, até tomar conta do próprio destino."

Bom domingo, leitores!! E boa Páscoa para aqueles que celebram!!

Hoje venho falar-vos de um livro pelo qual estava super ansiosa: Uma Gaiola de Ouro, o mais recente da Camilla Läckberg e uma novidade da Suma de Letras. Este é o primeiro livro da autora que não se encontra dentro da habitual série de Fjällbacka e é um género totalmente diferente daquele a que a autora nos habituou, por isso se não eram fãs dos policiais escritos por Camilla, aconselho-vos na mesma a experimentar este incrível thriller!!

Desde o início que nos sentimos agarrados às páginas, curiosos para saber o que verdadeiramente se passa nesta gaiola de ouro de Faye, mas a verdade é que a primeira parte (o livro está dividido em três) é um pouco parada, relatando apenas o dia-a-dia, digamos assim, deste casal, até ao acontecimento que vai ser a gota de água.

Mas assim que começamos a segunda parte é impossível parar (demorei cerca de três dias para ler a primeira parte que são cerca de 150 páginas, mas a segunda e terceira parte - que são 250 páginas-, li-as numa tarde só). 

Isto porque enquanto na primeira parte temos uma já normal (pelo menos para quem já leu um considerável número de livro do género) descrição de um casal que tem tudo o que se poderia ambicionar e que para os de fora parece perfeita, mas cuja vida é tudo menos perfeita, na segunda e terceira parte temos um desenvolvimento incrível da personagem principal, Faye, e somos também apresentados ao plano desta para destruir o ex-marido, plano este que nunca na minha vida vi/li igual!


É também ao longo destas duas últimas partes que temos alguns twists bastante inesperados no desenrolar da história. Tenho de admitir que muitas ideias me passaram pela cabeça sobre o que teria acontecido, mas nenhuma delas acabou por se verificar...


Sem dúvida que temos de dar o mérito à autora por nos levar, desde o início, a pensar numa coisa, que no final acaba por nos levar por um caminho errado, o que só prova a mestria de Camilla!

Classificação: 4,5/5


Uma leitura com apoio da

13/04/19

Opinião: "Uma luz em Nova Iorque" de Liv Morris

"Tessa Holly acaba de aterrar em Nova Iorque. No coração, traz o sonho de viver na cidade que nunca dorme. Na bagagem, carrega o CV, que tenciona distribuir até conseguir o emprego que mais deseja: trabalhar numa editora.

Não está nos seus planos apaixonar-se e ou ceder a tentações… menos próprias. 
Mas uma troca de olhares com um sensual desconhecido fá-la vacilar. Felizmente, o momento é interrompido… pela bela acompanhante dele. 

Tessa, porém, não o esquece. E não podia adivinhar que voltaria a encontrá-lo. E ele é:
Autoritário.
Encantador.
Lindo de morrer.
…e o seu novo patrão!

Pois Barclay Hammond é o CEO de uma prestigiada editora e o solteirão mais cobiçado de Nova Iorque. A atração entre ambos é eletrizante. Mas há um grande problema. As regras da editora proíbem relacionamentos íntimos. E Tessa não está disposta a abdicar do seu sonho. 

Conseguirá ela conquistar um lugar entre as mil luzes de Nova Iorque? 
Ou deitará tudo a perder num momento de derradeiro abandono?"

Boa tarde, livrólicos!

O livro de que vos venho falar hoje é uma novidade das Edições ASA, Uma luz em Nova Iorque de Liv Morris.

Este livro chegou cá a casa na sexta-feira passada e logo nesse dia antes de ir dormir comecei a lê-lo. A verdade é que não descansei enquanto não o acabei, por isso eram já quase três da manhã quando me fui deitar! Hahaha! 

Logo desde o início que me senti cativada por esta história, com os seus capítulos curtos e uma narrativa fluída, mas também por a protagonista ser uma personagem com a qual facilmente nos relacionamos. Afinal, quem nunca quis sair da sua cidade natal para ir para uma cidade grande e trabalhar no seu emprego de sonho?

A premissa da história é já bastante conhecida dos leitores que gostam do género (uma relação que começa antes de saberem que vão trabalhar no mesmo sítio e onde é proibido relações com colegas de trabalho), mas Liv Morris conseguiu criar um plot que sobressai entre os restantes do género devido a certas particularidades que tornam a história irresistível (não vou dizer aqui quais são, vão ter mesmo de ler para descobrir hahaha).

Com toques de humor e com todas as características de um bom romance para entreter os leitores, Uma luz em Nova Iorque é um livro que os fãs de romance não vão querer perder!

Classificação: 5/5


Uma leitura com apoio da

27/03/19

Opinião: "Negro como o Mar" de Mary Higgins Clark


"O cruzeiro prometia ser sublime. Mas logo depois de levantar a âncora, o luxuoso Queen Charlotte torna-se o palco de um misterioso assassínio: o de Lady Em, uma rica octogenária. O seu inestimável colar de esmeraldas, supostamente pertencente a Cleópatra, desapareceu... O culpado está, sem dúvida, a bordo. Mas quem é? O seu secretário aparentemente dedicado? O jovem advogado que queria persuadir Lady Em a devolver o colar ao Egito, enquanto seu legítimo dono? Ou Celia Kilbride, a gemóloga que se relacionou com a velha senhora? 

A lista de suspeitos cresce enquanto o Queen Charlotte rasga as ondas e o cruzeiro se transforma em drama. Preparemo-nos para embarcar num cruzeiro capitaneado por uma surpreendente Mary Higgins Clark e do qual é possível não regressar."


Boa tarde, leitores!

O livro de que vos venho falar hoje é o mais recente de Mary Higgins Clark, Negro como o Mar, uma novidade da Bertrand Editora.

Este livro insere-se no género policiais locked-doors, isto é, um policial em que toda a ação se desenrola num ambiente fechado, o que faz com que o assassino seja alguém que já nos tenha sido "apresentado" e todas as pistas para o desfecho estão à nossa disposição.

Apesar de em certos momentos a história ser um pouco repetitiva, com um desenvolvimento lento, os capítulos curtos e os (muitos) momentos de suspense e desvendar de segredos, sem dúvida, que não nos deixam pousar o livro enquanto não chegamos ao final e descobrimos o que verdadeiramente se passou.

Gostei imenso do facto de existirem personagens tão variadas e de termos acesso a grande parte do seu background, o que permite ao leitor ter a sensação de conhecer relativamente bem as personagens e as relações que se estabelecem entre elas.

Tenho de admitir que tinhas as minhas suspeitas sobre o que teria acontecido, mas acabaram por não se concretizar e nunca pensei que o culpado fosse quem era! Gostava também de ter lido mais sobre o que aconteceu ao resto das personagens depois deste cruzeiro, especialmente aquelas cujas atitudes durante o cruzeiro foram mais suspeitas... hihihi!!

Sem dúvida uma leitura que se lê num instantinho e perfeita para aproveitar nestes dias de bom tempo!


Classificação: 4/5


Uma leitura com apoio da